OBJECTIVOS DO BLOG: Criar uma Associação Casas-Museu Portuguesas com a missão de: Contribuir para preservação da memória da história e da cultura de Portugal; Promover a partilha de saberes; Rentabilizar recursos culturais e financeiros.
.posts recentes

. PROPOSTA DE ESTATUTOS PAR...

. AS CASAS-MUSEU PORTUGUESA...

.Histórico

. Dezembro 2006

.Histórico

. Dezembro 2006

Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2006
AS CASAS-MUSEU PORTUGUESAS EM ACÇÃO

APRESENTAÇÃO

 

A EQUIPA QUE CRIOU ESTE BLOG PRETENDE CRIAR UMA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CASAS-MUSEU E CONVIDA TODOS OS COLEGAS INTERESSADOS A VISITAR, INTERVIR E PARTICIPAR NESTE ESPAÇO, QUE PODERÁ SER UM EXCELENTE CENTRO DE TROCA DE OPINIÕES E SABERES.

APRESENTAMOS A SEGUIR AS PRINCIPAIS INICIATIVAS REALIZADAS, OS ESTATUTOS, QUE SE ENCONTRAM EM FASE DE CONFIRMAÇÃO E CORRECÇÃO  JURÍDICA E AS PRINCIPAIS TAREFAS A DESENVOLVER NOS PRÓXIMOS TEMPOS.

 

 

1 - HISTÓRICO

As Casas-Museu portuguesas têm procurado unir-se numa Associação Nacional de Casas-Museu, tendo sido dado o primeiro passo em Setembro de 2004, com o I Encontro Nacional de Casas-Museu, realizado por iniciativa da Casa-Museu Abel Salazar, com o apoio da Rede Portuguesa de Museus à qual a Casa-Museu Abel Salazar pertence.

O I Encontro Nacional de Casas-Museu organizado em São Mamede de Infesta pela Casa Museu Abel Salazar dedicou o primeiro dos três dias de trabalhos a uma apresentação sucinta dos princípios, programas de actividades e problemas das Casas-Museu em actividade, neste momento, em Portugal.

As comunicações apresentadas pelos responsáveis de treze instituições presentes cumpriram aquele objectivo e permitiram destacar alguns elementos relevantes para caracterizar a importância actual das Casas-Museu.

Assim, os participantes no I Encontro Nacional:

            1. Congratularam-se com a sua realização, que se revelou muito oportuna;

            2. Consideram que as Casas-Museu são hoje insubstituíveis focos de dinamização local, quer pela conservação da memória de pessoas e lugares quer pela reelaboração histórica e afectiva dessa memória, de acordo com orientações museológicas inovadoras;

3. Sublinham o riquíssimo acervo existente em algumas Casas-Museu, por herança da sua matriz coleccionista, que abrange a pintura e a escultura mas também o mobiliário, a tapeçaria e a ourivesaria;

4. Reconhecem que têm vindo a ser desenvolvidos, com êxito e em condições por vezes extremamente precárias, processos imaginativos de captação de novos públicos;

5. Reconhecem a necessidade de se associarem, em fórmula a debater, que permita a realização de novos encontros, a circulação de experiências, o aprofundamento das relações entre os responsáveis e os públicos, o intercâmbio de recursos e a definição de programas comuns de actividades.

6. Foi nomeada uma comissão de trabalho de que fizeram parte Ana Constante (C. M. Cascais), Luísa Garcia Fernandes (Casa-Museu Abel Salazar), Maria de Jesus Monge (Vila Viçosa), José Manuel Oliveira (Casa de Camilo), Delfim de Sousa (Casa-Museu Teixeira Lopes) e Manuel Pereira Cardoso (Fundação Eça de Queiroz).

 

     Em Outubro de 2005 foi realizado o Encontro Internacional do ICOM PORTUGAL/ DEMHIST (Demeures Historiques), com o acolhimento da Câmara Municipal de Cascais. Durante os trabalhos do Congresso verificou-se mais uma vez a necessidade do reforço da colaboração e partilha de experiências entre as Casas-Museu portuguesas.

Na sequência deste Encontro alguns dos participantes decidiram criar um grupo de trabalho formado por Ana Mercedes Stoffel da Casa-Museu João Soares, Gabriela Martins da Casa-Museu João de Deus, Hélvio Melim de Sousa, da Casa-Museu Leal da Câmara, Manuel Pereira Cardoso da Fundação Eça de Queiroz e Maria Luísa Garcia Fernandes da Casa-Museu Abel Salazar, que se propuseram desenvolver acções no sentido da realização dos seguintes objectivos:

·        Dar a conhecer melhor o trabalho das casas-museu portuguesas, na sua missão de preservar a memória da história e a cultura de Portugal;

·        Promover a partilha de saberes entre as diversas instituições;

·        Rentabilizar recursos culturais e financeiros;

·        Promover a reactivação e reanimação de casas-museu mais isoladas, através de um envolvimento mais activo de colaboração;

·        Promover a criação de uma Associação de Casas-Museu em Portugal, que dê seguimento a estas iniciativas.

 

Posteriormente, um novo grupo de trabalho (GTI) formado por Ana Mercedes Stoffel da Casa-Museu João Soares, Manuel Pereira Cardoso da Fundação Eça de Queiroz, Maria de Jesus Monge da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM - DEMHIST e Maria Luísa Garcia Fernandes da Casa-Museu Abel Salazar, deram seguimento as iniciativas traçadas no programa de acção entretanto definido, incluindo a celebração de um II Encontro de Casas-Museu em Novembro de 2006.

No seguimento do contacto com a Câmara Municipal de Cascais, passou a formar parte do grupo Carla Fernandes, em representação da edilidade, tendo sido iniciados os trabalhos para a realização conjunta de um II Encontro de Casas-Museu em Novembro de 2006, com o intuito de estabelecer relações institucionais para a realização de programas de intercâmbio e troca de iniciativas, que permitam transformar as Casas-Museu em pólos de atracção local e valorização comunitária.

 

O Encontro foi realizado nos dia 10 e 11 de Novembro de 2006 e permitiu a realização de discussões e debates sobre modelos de colaboração entre os responsáveis museológicos destas instituições, para acções de divulgação, formação e partilha de trabalhos e iniciativas que permitam obter com maior facilidade os objectivos que foram traçados. Foi ainda apresentado para discussão e aprovação o esboço de Estatutos de uma Associação Portuguesa de Casas-Museu, entretanto preparado pelo GTI para esse fim. 

 

 

 

2 - CONCLUSÕES

Na sequência dos trabalhos realizados no âmbito do presente Encontro, foram detectados e diagnosticados alguns dos problemas e dificuldades com que se deparam as Casas-Museu portuguesas, bem como perspectivadas algumas propostas de resolução que a seguir discriminamos:

 

DIAGNÓSTICO

Problemas Internos

·        Sinalética defeituosa ou incompleta.

·        Falta de programas de visitas.

·        Falta de Programas Museológicos.

·        Dificuldade de criação de percursos visitáveis, devido a fragilidade dos patrimónios à guarda.

·        Dificuldade de dinamização dos espaços das CM, devido ao seu formato estrutural.

·        Falta de pessoal de guardaria.

·        Falta de pessoal qualificado.

·        Falta de Formação.

 

Problemas Externos

·        Falta de sinalética nos acessos.

·        Falta de financiamento das tutelas, por insensibilidade para a importância da cultura, do património e dos museus como investimento e retorno.

·        Existência de documentos de doação excessivamente restritivos pode dificultar o desenvolvimento de algumas CM.

 

NECESSIDADES PRIORITÁRIAS

·        Definição do âmbito das CM.

·        Reactivação das CM fechadas ou em degradação, para garantir a preservação dos patrimónios e memórias que guardam.

·        Aumento da Comunicação entre as CM.

·        Melhoria de articulação entre as instituições tutelares:

FUNDAÇÕES, CCDR’S, IGESPAR, AUTARQUIAS, IMC, RPM.

·        Melhoria da comunicação entre as instituições museológicas e as instituições públicas tutelares.

·        Maior sensibilidade das autarquias para os problemas e necessidades das CM.

·        Normalização dos sistemas de catalogação, inventário e informatização.

·        Garantir acessibilidades aos visitantes com necessidades especiais, com ligação ao GAM.

 

PROPOSTAS APROVADAS

·        Voto de Louvor e agradecimento á Câmara Municipal de Cascais

·        Criação da ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CASAS-MUSEU – APCM

·        Criação e eleição de uma Comissão Instaladora. (7 membros)

CASA-MUSEU ABEL SALAZAR

CASA-MUSEU JOÃO SOARES

REDE DE MUSEUS MUNICIPAIS DE CASCAIS

CASA-MUSEU TEIXEIRA LOPES

CASA-MUSEU FERNANDO DE CASTRO

REPRESENTANTE DO ICOM-DEMHIST

CASA-MUSEU DR. ANASTÁCIO GONÇALVES

·        Voto de Confiança da Assembleia à mesma Comissão para:

Elaborar estatutos definitivos e fazê-los aprovar pelos associados 

            fundadores.

Desenvolver as iniciativas necessárias a oficialização da Associação.

·        Aprovação da utilização das receitas da Conta do II Encontro para as primeiras acções da Comissão.

·        Definição de Quota provisória. 200 EUROS

·        Autorização à Comissão para a utilização das receitas dos primeiros associados no lançamento da associação.

·        Autorização para a Comissão dar início ao processo de escolha da sede da Associação, através de propostas a serem aprovadas na Assembleia Eleitoral da Associação.

·        A Comissão promoverá a elaboração do documento de definição de Casa-Museu.

 

INICIATIVAS SUGERIDAS

·        Criação de um Centro de Reflexão e orientação de CM.

·        Criação de um BLOG de comunicação, no âmbito da Comissão Instaladora.   CASAS-MUSEU PORTUGUESAS.BLOGSPOT.COM

·        Criação do GUIA DAS CASAS-MUSEU PORTUGUESAS em modelo informático e de papel.

·        Divulgação das CM, junto de um Jornal de referência no modelo dos Roteiros de Portugal.

·        Realização de Programas de exposições partilhadas.

·        Realização de Acções de Formação específicas para CM.

·        Manutenção dos Encontros em formato anual e com distribuição geográfica rotativa.

 

Este documento de reflexão e conclusões será considerado como a Acta nº 0 da instituição a criar.

 

 

DEFINIÇÃO DE RESPONSABILIDADES IMEDIATAS

BLOG: ANA MERCEDES

ESTATUTOS: LUÍSA FERNANDES

DEFINIÇÃO DE CASAS-MUSEU: MARIA DE JESUS MONGE

GUIA DE CASAS-MUSEU: CARLA FERNANDES

 

CONTACTOS

ANA MERCEDES STOFFEL        a.mercedes.fmsoares@mail.telepac.pt

CARLA FERNANDES                    carla.fernandes@cm-cascais.pt

LUÍSA FERNANDES                      cmuseu@reit.up.pt

MARIA DE JESUS MONGE          mjmonge@clix.pt

 

 

                                  

Publicado por Casas Museu em Acção às 00:12
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
3 comentários:
De Museu a 21 de Dezembro de 2006 às 11:32
Só para deixar uma palavra de incentivo e desejos de os maiores sucessos para este projecto.
De Dário Viegas a 24 de Julho de 2008 às 14:52
Olá

O meu nome é Dário Viegas, da Agencia Inova - Associação para a Cultura e a Criatividade.

Estamos a organizar um grande evento para profissionais na área de Museus, Património, Arte, Cultura e Indústrias Criativas de que gostaríamos tomasse conhecimento - e eventualmente divulgasse no âmbito deste blog, o FORUM CULTURA E CRIATIVADE - www.inovaforum.org.

Obrigado
Dário Viegas
dviegas@agenciainova.pt
De Luísa Garcia Fernandes a 12 de Novembro de 2009 às 16:31

O trabalho sobre o projecto de categorização das casas-museu continua. Sugiro a todos os que contribuiram que consultem o documento

http://demhist.icom.museum/DEMHIST_CategorizationProject_I_Data.pdf

Neste momento o projecto está a ser desenvolvido por Hetty Berens, do Instituto de Arquitectura holandês e membro da direcção do DEMHIST.


Comentar post

.Mais sobre as Casas-Museu Portuguesas
.Pesquisar neste blog
 
.Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds